Atribuição de números

A função administrativa que a ICANN desempenha com os endereços IP usados pelos computadores é similar à que desempenha com os nomes de domínio usados por humanos. Assim como não é possível ter dois nomes de domínio iguais (caso contrário, você nunca saberia qual seria seu destino), também não é possível ter dois endereços IP iguais.

Mais uma vez, a ICANN não administra o sistema, mas ajuda a coordenar como os endereços IP são fornecidos para evitar repetições e colisões. A ICANN também é o repositório central de endereços IP, a partir do qual eles são fornecidos aos registros regionais que, por sua vez, os distribuem aos provedores de redes.

IPv6

Os endereços IP (protocolo de Internet) são os identificadores numéricos exclusivos atribuídos a tudo o que está conectado à Internet, de servidores da Web a smartphones, câmeras e impressoras. A versão mais usada do protocolo de Internet, IPv4, foi desenvolvida no início da década de 80 e serviu a comunidade global da Internet por mais de três décadas. O IPv4 tem capacidade para um pouco mais de 4 bilhões de endereços IP, o que parecia mais que suficiente nessa época, quando a Internet era apenas uma experiência. Mas depois de anos de expansão rápida da Internet, o pool de endereços IPv4 não alocados disponíveis estava quase totalmente alocado a Provedores de Serviços de Internet (ISPs) e usuários.

IPv4

IPv4 é a versão 4 do Protocolo de Internet. Ele se refere à versão do protocolo de Internet que funciona com endereços IP de 32 bits. Isso permite aproximadamente quatro bilhões de endereços IP exclusivos, mas esse número não é suficiente para atender à demanda projetada para os próximos cinco a dez anos. Portanto, um novo protocolo, chamado IPv6, foi desenvolvido para aumentar significativamente o número de endereços IP disponíveis.


No dia 20 de maio de 2014, a ICANN anunciou que começou o processo de alocação dos blocos restantes de endereços IPv4 (Protocolo de Internet versão 4) aos cinco RIRs (Registros Regionais da Internet). A ativação desse procedimento aconteceu quando o estoque de endereços do Centro de Informação de Redes da América Latina e Caribe (LACNIC) caiu para menos de 8 milhões.

Essa medida indica que o estoque global de endereços IPv4 está chegando a um nível crítico. Com a entrada de cada vez mais dispositivos na rede, a demanda por endereços IP aumenta, e o IPv4 não é capaz de fornecer endereços suficientes para atender a essa explosão. A ICANN recomenda que os operadores de redes em todo o mundo adotem o IPv6, que permite o crescimento rápido da Internet.

Para lidar com essa diminuição crítica dos números disponíveis para o LACNIC, as comunidades desenvolvedoras de políticas dos cinco RIRs estabeleceram uma política para a redistribuição igualitária pela ICANN. Esse processo é conhecido como a fase de alocação descrita na Política Global para Mecanismos de Alocação Pós-Exaustão de IPv4.

O IPv6 facilita o crescimento exponencial da Internet fornecendo 340 undecilhões de endereços exclusivos, em comparação aos 3,7 bilhões oferecidos pelo IPv4.


Recursos na América do Sul e no Caribe:

LACNIC

Recursos na América do Norte e no Caribe:

ARIN